domingo, 28 de setembro de 2008

TÁ ESPERANDO O QUE?

Existem momentos da vida que você espera. Espera que o outro te perceba, que amanhã chova/não chova, que o telefone toque/não toque, Um abraço, um sorriso, um aperto de mão, quem sabe um olhar, um email? O fato é: nenhuma das alternativas acima acontece. E aí acontece a parte difícil: a aceitação. Aceitar que não era o melhor para nós, que o outro não quer (ou não pode – sim, ele tem esse direito), que não é o momento, enfim, que ninguém dá o que não tem. Só que temos a escolha viciante do convencimento. Próprio, inclusive. “Ah, deve ter acontecido alguma coisa”; “Ta doente, vamos entender...”; “Não teve carinho na infância”... E vamos por aí afora, com qualquer desculpa que acalme nosso coração. E aquela camisa bonita que ele vestiu só para o encontro ou aquela lingerie escolhida a dedo (sem trocadilhos) vão parar no fundo do armário atiradas com certa raiva, culpadas pela burrice ou esperança, por “mais uma vez ter acreditado que poderia dar certo!”. Primeiro: nem tudo que queremos é pra nós. Segundo: Não adianta pedir o que queremos e sim perceber se o que o outro tem para nos oferecer não está de bom tamanho. Tem momentos que somos muito exigentes. Nada basta. Só que insatisfação não está geralmente do lado de fora. E como diz a música, “quem espera quase sempre cansa”... Imediatamente me lembro daquela do Chico que diz: “ O tempo passou na janela, só Carolina não viu...” Por mais difícil que seja, a escolha é nossa. Vam‘bora vestir “aquela” camisa ou “aquela” lingerie, escrever um email pra alguém que não vimos há muito, telefonar, ir ao cinema, passear no shopping que seja, ler um livro (a vida é vasta!) e fazer disso um acontecimento que não dependa de nada ou de ninguém, só de nós mesmos. Claro que isso não é pra vida inteira, mas não dá pra perder toda uma vida esperando... E quer saber? Nada é pra sempre mesmo! E nunca é muito tempo.

7 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Não podemos esperar o mundo notar que a gente existe para viver. Vamos viver que de repente o mundo percebe que vc ta alí... rs

Beijos

Rafs disse...

Tem momentos que a gente espera, e quando a gente espera demais, se desapercebe, do que significa a plenitude de um segundo vivido!

Adorei o formato dos textos e teu jeito de escrever. Gostei desse espaço também! Vou voltar com mais calma, e já quero pedir pra te add nos meus links do blog, pode? ; )

eita, eu tô super apressado aqui e o comentário já saiu desse tamanho!! ahaushaushauhau

Bjin e boa noite!!

Deusa Odoyá disse...

Olá minha amiga .
Temos que nos fazer presentes, perante a esse mundo de sonhos.

beijos amiga.
Uma semana repleta de muita paz e luz.
Um lindo cantar a vida.
Sua nova amiga.

Regina Coeli.

Te aguardo em meu cantinho.

Andréa disse...

É...talvez eu tenha esperado demais dos outros...
Ou talvez eu tenha transferido a responsabilidade para o outro. Não sei...
Mas valeu a lição.
O vestido verde e o sapato novo serão usados, assim que São Pedro ajudar, para agradar a mim mesma e não aos outros.
Beijos e muito obrigada por tudo,
Andréa

felipe lima disse...

É tão cômodo só existir que às vezes esquecemos de que só há essa chance pra fazer dar certo.

Veronica Kraemer disse...

Carlaaaaaaaaaa, que lindo!!! Realmente a aceitação é algo que a gente só aprende depois de levar muito na cabeça, mas quando isso acontece, é um salto quântico, não é mesmo?
Muitas vezes parece difícil tbm. tirar o ego da história, não ser o centro, mas quando conseguimos a vida se abre em múltiplas possibilidades.
Cabe a nós continuarmos presos em nosso mundinho, ou voar!!!!!!!!!
Beijossssssssssssss

Junkie careta disse...

Carla,
Desculpe a grosseria de só responder Hoje, mas, uma gastrite me tirou do mapa por uma semana...

você foi muito lúcida no que observou, sobretudo, no que diz respeito a independer do outro, a tirar essas moletas emocionais que as pessoas se amparam por baixa auto-estima ou mesmo a falta dela.

Mas, vendo a coisa pelo outro lado, há caras que pedem pra ser esquecidos ou passados pra trás... consigo compreender. A mulher dá de presente pra ele,sem trocadilhos:) todo um ritual de preparação, que vai do cuidado da pele até a escolha do objeto do fetiche masculino(aquelas coisas assassinas que vocês chamam de lingeries...)e o cara não dá a mínima?!!. É pedir pra ser descartado...

Enfim,

Gostaria de agradecer a sua visita e a generosidade do comentário e pedir que você volte quando quiser.

Grande abraço