sábado, 12 de dezembro de 2009

DE CÁ PRA LÁ

Alguns sentimentos parecem durar pra sempre. Mesmo que já tenham terminado, mesmo que pareça que séculos se passaram, águas e tsunamis revolveram terra e não deixaram pedra sobre pedra, mas quando olhamos... ele continua lá.

Geralmente são amores que no fundo não nos fazem bem, que nos fazem sofrer, que o coração dói, que só mesa de bar e garçom pra entender, um cantinho, um violão.

Os amigos dizem que “a tristeza logo passa”, “um amor só se cura com outro”, mas quem já amou, sabe que não é assim. Inúmeras músicas ao longo dos anos transmitem isso:

- “Você foi o maior dos meus casos, de todos os abraços o que eu nunca esqueci...”

- “E cada vez que eu fujo, eu me aproximo mais, e te perder de vista assim é ruim demais e é por isso que atravesso o teu futuro... E faço das lembranças um lugar seguro...”

- “Chega de saudade, a realidade é que sem ela não há paz não há beleza, é só tristeza e a melancolia que não sai de mim, não sai de mim, não sai...”

- “Eu já não sei se deva ou não deva querer-te, pois quero às vezes esquecer-te, quero, mas não tenho coragem...”

E culpamos o outro: “Sua estupidez não me deixa ver...” – Como se não pudéssemos ser responsáveis por nós mesmos. E quando a paixão nos atravessa, não somos nada, não somos nós mesmos. Apenas vivemos esse sentimento.

E posso ficar aqui dias e dias fazendo citações infinitas sobre casos de amor.

Atire a primeira pedra quem nunca sofreu de amor...

E juramos que isso nunca mais vai acontecer: “E pra começar eu só vou gostar de quem gosta de mim...” Hãhã... E tudo (re) começa. Como promessas de ano novo: “Agora vai ser diferente!”

E mais uma vez deixamos de ser racionais, a paixão passa a ser avassaladora, desculpamos o que não tem desculpa, só pra estar perto, estar junto, sentir as horas passarem voando, o coração disparar, o frio na barriga, os corpos suados, as fantasias, as mãos, os pés, os olhos... E lá vamos nós outra vez!

Paixão não tem explicação. É vida pura. Até transformar-se em amor. E amor é vida também. Mesmo que nos faça sofrer, algo dentro de nós incendeia nosso olhar quando ao cruzarmos uma rua, ali na esquina...

11 comentários:

Taw disse...

Por isso digo que meu coração é de pedra. xD

O que já sofri de mais próximo do que ouço dizer, foi por ter perdido amizades... :-/ mas estaria mentindo se dissesse que fora por amor...

até por que o que meu coração reconhece como amor, traz uma definição que não dá muita margem pra sofrimento...

:-/

é o que eu penso.

Dama de Cinzas disse...

Eu já sofri tantas decepções nesse setor que agora pra eu me apaixonar tá difícil... E bem que queria uma paixãozinha pra dar um colorido na vida...

Beijocas

Cris Animal disse...

Não atiro a primeira pedra e nem pedra nenhuma e acho que quem não sofreu uma dorzinha ou uma grande dor, não viveu coisa nenhuma nessa vida. Não que o amor seja sofrimento, mas amar alguém é se envolver e todo envolvimento faz com que vivamos intensamente o TUDO que o outro é. Se há perda, perdemos muito de nós em uma parte de nossa história.

beijos

ML disse...

Amor romântico é diferente de amor, eu acho.
Pelo menos algumas vezes.
A intimidade gera até um mix "amor e ódio" (ok, não é ódio, mas às vezes parece que é, mas não é não).
É que fica difícil, depois de "misturar", separar-se.
Não necessariamente no sentido civil, separar apenas, manter a integridade, ter o outro como companhia não como extensão (nossa).
Não sei se isso é coisa típica de mulher (uma verve materna quase incontrolável).
Adorei ler mais este seu post - fez pensar, como sempre.

bjnhs e ótima semana.

Francisco disse...

Ah, Carlinha!

E tem aquela velha música do "Rei", responsável pelo término de tantos amores:

"Se você demora mais um pouco...
Eu fico louco, esperando por você...
Mas é ciúme, ciúme de você, ciúme de você, ciúme de você..!!!"

rsrsrsrs

Aquele beijãozão!

Gabitus disse...

Carla,

que bom que existe esse mundo de sentimentos, para deixar a vida mais bacana, né?? Já imaginou quantos dias sem graça, sem razões para sorrir ou chorar??

Beijos!!

Alice disse...

Oi, Carla
Obrigada pela força. É legal ouvir palavras de conforto de uma pessoa que a gente nunca viu. Obrigada pela visita. Estou te seguindo. Eu já sofri muito de amor e estou há cinco anos sem ter um namorado sério. fico muito triste pois me sinto muito sozinha, mas tenho medo de sofrer de novo.
Bjs

Alice disse...

Carla
Obrigada pelo seu comentário. Acredite se quiser, mas fiquei com lágrimas nos olhos. Me emocionou, sabe? Me sinto tão carente, sozinha que uma mensagem como aquela me deixa felizinha. Tomara mesmo que um dia eu tenha o que eu tanto sonho, viu?
Obrigada
Bjs

Garota Karioka disse...

Olá,
Vim conhecer sua página e fiquei apaixonada.
Esse texto está perfeito, iz tudo que jpa vivi e que já vi muitas pessoas viverem.
Vou seguindo!
Beijos!

Andréa disse...

Ai, ai, ai...
Nem posso dizer muita coisa, não é??
afinal, eu sou a rainha dos amores impossíveis!!!! rs...
Mas é verdade que sem o amor, sem paixão a vida não tem graça, não tem brilho, nem tem cor.
O que talvez seja necessário, é aprender a dosar aquilo que a gente dá e aquilo que esperamos receber.
Quem sabe essa não é a fórmula mágica do amor?
Beijão e muitas saudades,
Andréa

Silney Orlando disse...

Impressionante!
Ainda bem, que ao contrário de alguns aqui, eu te conheço pessoalmente.
Vc é fera mesmo!!!
E foi do jeito que vc falou, atingiu não só a quem devia, mas a todos. kkkkkkk

Beijos,