segunda-feira, 4 de agosto de 2008

O MEDO DE AMAR É O MEDO DE SER LIVRE

Já dizia a música do Beto Guedes. Quanto mais eu vivo mais observo o quanto é díficil encontrar pessoas que dão um abraço por inteiro, sentindo o peito do outro, um olhar daqueles "olho no olho", um ombro amigo onde o que está em questão não é o ombro, são as orelhas. Sim, porque saber ouvir alguém sem fazer comparações, sem interromper e principalmente sem julgar, é cada vez mais raro. O mais comum são pessoas que numa mesa qualquer, não olham para quem está falando, "fazem que escutam, mas não ouvem". Tenho a impressão que devem estar pensando em alguma coisa que julgam mais interessante fazer, ou no próximo capítulo da novela, ou se o casal X realmente se separou, coisas assim, interessantíssimas. Triste. Egoísmo puro, é óbvio. O que vale é o momento - delas, é claro. Cazuza: "Pra que usar de tanta educação, pra destilar terceiras intenções, desperdiçando meu mel...". E quando você conhece alguém e a pessoa te cumprimenta como se carregasse ovos entre os dedos? Aperta sua mão como se seus dedos (ou os dela) fossem de cristal. E não estou falando só de amores entre homens e mulheres, mas também os fraternais, filiais, entre amigos... Já vi muito abraço ser mais esclarecedor do que uma conversa. Mas algumas pessoas insistem em viver no passado, recrudescendo seus rancores, temores, angústias. Não percebem o tempo que perdem em não amar, que não significa outra coisa senão a opção de não viver. Mas para amarmos temos que ser livres, cortar as amarras do arrependimento, do talvez, do ódio, da mágoa. Darmos possibilidade ao amor. E dar possibilidade ao amor é respeitar o tempo dos outros, é perdoar sempre, é ter consciência de que você talvez já tenha aprendido tudo isso, mas amar não é garantia de ser amado. O que é uma pena, mas é real. Dar possibilidades ao amor é como ver o dia nascer; nosso peito se enche com o calor dos primeiros raios de Sol da manhã, as esperanças ressurgem, podemos começar de novo, a noite já se foi. Pense nisso, abra seu coração, dê seu melhor sorriso, estenda verdadeiramente sua mão, contemple o olhar alheio como se fosse a última vez e simplesmente seja inteiro: dê seu melhor abraço! Viva o dia de hoje, sempre. Aí então, definitivamente você será livre.

Um comentário:

Helo disse...

Oi querida!!!!!
Esses dois textos:o medo de amra e pessoas iluminadas vem bem a calhar para o momento que estou vivendo.
Os dois sao lindissimos!!!!Saudades das pessoas iluminadas que entraram na minha vida e agora estao tao longe de mim geograficamente!!!!
Bjo grande!!!
Helô