segunda-feira, 8 de setembro de 2008

COMO SE NÃO HOUVESSE AMANHÃ

Tenho uma amiga de adolescência passando por um momento delicado após ter feito uma cirurgia de grande porte. Nesse momento passa por todos os efeitos colaterais obrigatórios. Mas ela tem encontrado tempo para escrever, para re-luzir para a vida (sim, porque me lembro que desde a adolescência ela já era brilhante), para se re-encontrar (a si mesma e aos outros também). Cada dia é uma nova chance de superação. Acredito que seja também um passo a mais na vitória da vida. Sim, porque não basta o hospital, os médicos, o atendimento ser perfeito; o mais importante é o paciente querer VIVER! E isso é uma conquista diária até mesmo para quem não fez cirurgia nenhuma. Pra que a pressa? Um dia de cada vez... Ouço muitas pessoas dizendo “Ah, o dia tinha que ter mais que vinte e quatro horas para que eu desse conta de tudo!” Caramba, porque as pessoas cismam que tem que dar conta de tudo? Basta prestar atenção em como distribuímos o tempo, em como estamos olhando-vendo a vida! Depois do um, pode vir o dois, três, quatro...ou não! Às vezes temos que dar uma paradinha num deles e passar uma temporada. Nem sempre tudo que queremos é o melhor para nós. Saibamos respeitar o tempo. Ele é precioso. E necessário. Tratemos nós de vivermos cada segundo com toda a intensidade possível, como já dizia a música “como se não houvesse amanhã”. Faça das palavras ações! E olha que pensamento também é ação! Admiremos as ondas do mar: elas vem e vão num continuum. Assim também não é nossa vida? “Não há bem que sempre dure nem mal que nunca acabe...” Querida amiga, CORAGEM. O dia pode estar cinzento hoje mas sei que aí dentro o SOL brilha até quando os outros pensam que anoiteceu!

Um comentário:

Chris disse...

Nossa... nem preciso te falar o quanto me tocou né?
Esse reencontro tem me feito tão bem.
Agradeço a Deus por você na minha vida e por estar tendo essa oportunidade de renascimento e cura!
OBRIGADA.