terça-feira, 14 de outubro de 2008

INCÊNDIO

Tudo ardia em chamas. O teto, as paredes, até mesmo os móveis que escolhera com tanto capricho. Em minutos via sua vida desfilar por entre o calor. Lembrava dos momentos felizes, das comemorações a dois, dos dias na praia, na montanha, onde tudo começou e até mesmo quando as coisas sinalizaram que não iam mais tão bem assim. Aqueles minutos tinham a eternidade da história e o mesmo peso dos séculos. Por um segundo sentiu-se cansada, sem forças. As chamas cresciam formando sombras cada vez maiores. Não era um fogo que iluminava, que aquecia. Ao contrário, quanto mais elas teimavam em aparecer, mais gelada ela ia se sentindo. Estranha sensação. Outro antagonismo que precisava pensar. Nunca se vira cercada de idéias tão contrárias e simultâneas. Queria fugir dali, mas uma espécie de paralisia tomava conta de seu corpo todo. Queria gritar, mas por mais que tentasse articular um grunhido que fosse, seu maxilar, sua mandíbula parecia travada. O gato, a seu lado com os olhos fechados, continuava adormecido alheio a todo o incêndio. O calor chegara a tal ponto que não distinguia mais se era dentro ou fora dela. Resultado da madrugada abafada ou de todas as idéias que lhe comiam as entranhas? Não sabia. A seu lado ele dormia como um bebê.

10 comentários:

Fernanda Papandrea disse...

que texto forte!

me encantei pelas alegorias!

venho aqui te convidar a conhecer meu cantinho: http://www.pordentrodasentrelinhas.blogspot.com/

grande beijo!

Robson disse...

É Carla... Homens tem essa facilidade de ignorar incêndios, embora sejamos bons pra apaga-los e não me refiro ao ofício literal de bombeiro não...
BJ

CARLA ROCHA disse...

Querido Robson, adorei a "facilidade de apagar incêndios..." rsrsrs Beijão

mundo azul disse...

...mais que o incêndio, doeu o sono ao lado, não?

Gostei do seu texto!!!


Beijos de luz e o meu carinho...

Afobório disse...

olá.

obrigado pelo comentário.

agora quanto ao teu texto, é muito quente,sabe assim que vi a foto meus olhos foram tomados.

e quando li o texto, nossa, FORTE MESMO, muito bom de ler.

então como digo sempre a todos por aqui:

gente, vamos escrever, enquanto a gente escreve o mundo responde.

sorte e luz para você e todos os seus queridos.

e volte sempre, pois eu tornarei a ler tuas palavras certamente.

mais uma vez obrigado. até mais.

Luiz Calcagno disse...

Sabe o que? Parece o final de Como Água para Chocolate, so que sombrio. Vim ver seu blog. =) Gostei e vou voltar.

Abraços

Cara de 30 disse...

Desculpe, Carla, mas morri de rir com o comentário do Robson... Impagável!

Sobre o texto, esses são os piores incêndios, não?! Aqueles onde os bombeiros não podem fazer nada e a água não passa de mera espectadora do espetáculo das chamas ardendo... Difícil.

Flávia disse...

Uma chance de ser fênix e de renascer das cinzas...

Beijos, bonita.

Andréa disse...

Talvez apenas um olhar poderia abrandar as chamas.
Ou o contrário: talvez ateasse fogo nesse gélida relação!!
Beijos,
Andréa

Jana disse...

Os homens são bons para apagar incêndios, não para detectá-los.

Mas ninguém - NINGUÉM - é melhor que uma mulher para tacar fogo em tudo e acabar com aquilo que acabou com ela.

É ou não é?

De qualquer maneira, gostei muito.

Abraços
:)