quarta-feira, 25 de março de 2009

Por amor

Existem momentos difíceis em nossa vida que a única saída é abrir o coração. Deixar que as palavras, os sentimentos (sejam eles bons ou ruins) saiam livremente. Quanto mais existo, mais percebo como isso dá um nó no peito, na garganta, um frio na barriga, porque nem todos estão dispostos a ouvir ou falar. Quando digo “abrir o coração” falo em escancarar a alma, sem medo, sem preconceitos, sem razão, apenas não calar este, aqui, que até então permanecia aprisionado no peito. Com poucas pessoas pude fazer isso, porque nem sempre as palavras são fáceis de dizer. Vale email, discurso, carta, bilhete, recado. Sim, porque para falarmos de verdade para o que vai dentro de nós, não há tempo, nem espaço. Ontem é como se tivesse acontecido há um segundo. Mesmo que o ontem já tenha se perdido em meses ou anos. O hoje pode se transformar em pra sempre ou nunca. O tempo é relativo também neste caso. Para abrir o peito, a alma, só uma regra: sinceridade. Mas como é difícil ser sincero até com você mesmo!!! Tem coisas que nem nós queremos saber... Seria mais fácil esquecer, ignorar, fazer de conta que nada está acontecendo. Mas esse é um exercício muito, muito mais difícil para quem acredita na vida. Aqueles que vivem realmente dificilmente fingem que nada está acontecendo, porque sabem o quanto cada segundo é precioso, urgente e específico. Até mesmo aqueles que nos surpreendem, que não esperamos. Hoje pude abrir meu peito e mostrar minha alma. E o que foi melhor: por amor.

8 comentários:

Cris Animal disse...

O hoje tem o poder!
Concordo com vc, Carla! O hoje pode mudar qualquer coisa. basta querer.

beijos
..............Cris Animal

Veronica Kraemer disse...

Lindoooooooooooo!!!
Beijos e saudades
Vero:)

Cara de 30 disse...

Comentar em uma palavra apenas: Parabéns!

Elaine disse...

Olá!
Carla, tem um selo-elogio prá você lá no blog, espero que goste!
Beijos.

Dama de Cinzas disse...

Lindo texto! Beijocas

Claudia Goulart disse...

Não deveria ser tão difícil nos abrirmos! Mas é!
Eu, fico com medeo de ser julgada, de ser mal interpretada de não ser mais querida.
É um exercício necessário e deve ser contínuo, se não a gente perde o costume.
Que bom que vc pode mostrar sua alma!


Obrigada pela visita e pelo comentário!
Volte outras vezes!
bj

D.Ramírez disse...

E como é bom ler coisas assim...
Muito mesmo.
E o desenho usado no post..que legal, pena que nao passa mais, acho um dos mais bem bolados um gambá apaixonado por uma gata..rsrs bem legal;)

Besos

ลndreia disse...

Depois de se abrir o coração, somos invadidos por uma tremenda serenidade... *