sábado, 16 de janeiro de 2010

GABI E SÉRGIO



Os últimos dias têm sido tomados das mais variadas recordações. Interessante perceber como a memória é prodigiosa quando o assunto é afetivo!!!


 
Creio que a primeira delas foi o fato de que lembro exatamente o momento em eu você foi gerada! Não sei se te contei isso algum dia, mas naquele momento que senti mágico, fui cercada de muita luz e comentei com seu pai: fiquei grávida... E ele espantado: “Imagina, enlouqueceu? Como você pode saber disso?” – Nem eu mesma soube explicar, mas tive a certeza confirmada nove meses depois. Demos a você o nome de Gabriela, uma homenagem a seu avô, meu pai. Como nada é por acaso, soube bem depois que o significado de seu nome é: “enviada de Deus”. Estava explicada aquela luz que pareceu descer do céu...

Acompanhar seu desenvolvimento não foi uma tarefa fácil, porque eu, mãe jovem, também me via em crescimento! Além disso, descobria ao mesmo tempo as responsabilidades do trabalho, da faculdade, acumulando funções e aprendendo a duras penas, a lidar com uma imensidão de sentimentos.

Naquela época, logo após seu nascimento, te escrevi um texto que nunca te dei pra ler, com minha velha Remington, de tantas glórias. Nada melhor que o dia de hoje para dá-lo de presente a você:



“Quando Gabriela nasceu, eu tinha apenas dezoito anos. Para mim, aquele bebe que crescia dia a dia em meu útero, enchia-me de alegria e de vida.

Com o passar dos meses, passei a perceber que podíamos nos comunicar sem mesmo ela ter nascido. Com seus movimentos eu percebia quando algo lhe incomodava ou não e desde esse momento comecei a exercer meu papel de mãe, fazendo o possível para que ela se sentisse bem. Assim, tínhamos uma “linguagem secreta”, que a cada dia me mostrava o quanto precisávamos uma da outra.
 

Seu nascimento foi ao mesmo tempo a realização de um sonho, motivo esse de muitas alegrias e também o começo de uma nova fase em minha vida. Gabriela nasceu no dia de Santo Antonio, bonita e forte, o que continua a ser até hoje motivo de orgulho para toda a família.

 
Mas de repente eu, uma menina também, que mal havia acabdo de entrar na faculdade, assumia um outro papel: o de mulher e mãe.
 

Como sou filha única, não tinha prática com crianças. Mas, o mais importante é que naquele momento eu começava a perceber que isso não me atrapalhava em nada. A prática que eu não tinha, vinha do fundo do meu coração, por instinto. Lógico que ás vezes eu tinha dúvidas, mas nessas horas eu encontrava o apoio do meu marido e também dos avós. Graças a esse instinto maternal, eu ia descobrindo os desejos e necessidades da minha filha e mais uma vez uma nova linguagem se estabelecia entre nós.



Os meses vão passando, Gabriela está crescendo e a cada dia fazendo novas descobertas. O primeiro sorriso, o bater de palminhas, o poder engatinhar investigando no chão algo que eu nunca havia notado, o primeiro passinho, vão gradativamente me enchendo de alegria e orgulho.



Através dela, da minha pequena Gabi, sinto que também estou crescendo e descobrindo o mundo, junto com ela. Às vezes, quando passo por momentos ruins, é nela que encontro forças para ultrapassar as dificuldades. Esqueço as lágrimas e a vejo correr para mim, com os bracinhos abertos e um sorriso lindo. Então, dou-lhe um abraço bem forte e sinto que apesar do trabalho, toda a responsabilidade que aprendi a ter para com ela e que vale a pena, são esses momentos em que um pinguinho de gente de apenas um ano, me faz sentir com muito orgulho, a pessoa mais feliz do mundo.”



Quantas coisas aconteceram desde então, não é filha?



Apesar de algumas coisas não terem sido como sonhamos, estamos juntas.



Hoje é o dia de seu casamento. Claro que me conhecendo muito bem, você sabe que o teclado já está encharcado de lágrimas. Meu coração está feliz por você e pelo meu querido genro. Obrigada Sérgio por você fazer minha filha tão feliz e cuidar tão bem dela. Vejo seu olhar amoroso, seu coração sincero e sua bondade imensa. Que a vida de vocês seja repleta de momentos mágicos como o que aconteceu quando ela foi gerada.

 

Gabi, obrigada. Uma etapa de minha vida termina hoje e outra começa. Você continua sendo motivo de alegria e muito orgulho para todos nós. Caminhe, vá em frente com seu marido e continue perseverante como tem sido.



Eu, sua mãe, estarei sempre aqui, sempre. Tenha certeza. Eu te amo, muito. Sérgio, você passa a ser o filho que eu não tive. E meu coração está repleto de amor e orgulho por você fazer parte de minha história!

Amor, amor, amor! É o desejo mais profundo para todos os passos do novo caminho!


9 comentários:

smacjr disse...

Oi, Carla!
Bonito sentimento...
Obrigado pelas palavras, pela adoção e pela música de encerramento.
Fico feliz de ter você como parte da minha vida.
Grande beijo,
Sérgio

Dama de Cinzas disse...

Muito lindo seu texto, emocionante!

Tão legal ver que nossa vida frutificou, que pessoas partiram da gente!

Eu não sei como é essa sensação, mas posso imaginar que seja muito boa!

Parabéns por mais essa etapa, certamente dependeu muito de vc pra que tudo chegasse nesse ponto...

Beijocas

Robson Schneider disse...

Nossa... me deu um nozão na garganta, pois sei que um dia esse momento vai chegar pra mim e pra minha filhota... Carla, parabéns... o seu texto revelou a mãe e com certeza a filha também.Penso que independente de qualquer coisa a gabriela já é muito feliz e privilegiada por ter você por perto.
Felicidades a ela!!!
Bjo

Robson Schneider disse...

Dessa vez acho que o blogger aceitou a minha postagem hahahahaa

Francisco disse...

Amiga Carla!
Não foi só o seu teclado que ficou encharcado.O meu também...!
Posso imaginar a emoção que vc está sentindo, ao ver a filhota iniciar uma das mais belas fases da vida.
Desejo de todo o coração, muitas felicidades à Gabi e ao Sergio, e à vc também, é lógico! Afinal, mãe de noiva se prepara para esse dia, tanto quanto a própria! rsrsrs
Um beijo enorme!

O Profeta disse...

O troar do trovão, esta incessante chuva
As estrelas choram todas as mágoas na terra
Onde param os Anjos, porque não nos acodem os Santos
O mal e o bem porfiam esta eterna guerra

As casas do sul ruiram todas
Tal como a esperança desesperada
Toquei no rosto de uma criança triste
Senti uma paz surgir do nada


Mágico beijo

Cara de 30 disse...

Cheguei atrasado... Mas confirmo que também fiquei bastante emocionado com suas palavras sempre lindas, Carla.

Parabéns pra você e felicidades aos recém-casados! :)

Paulo Braccini disse...

Agradecendo e retribuindo a visita querida Carla ... magnificamente belo este seu depoimento ... sensibilidade e lirismo puros ... belissimamente ilustrado com a magia de Roberta Sá ...

voltando sempre

bjux

;-)

Janaina disse...

Oi minha querida!!!

Claaaro que já estou morrendo de chorar...
E até me inspirou a escrever sobre a minha Gabi. Parece que só mudamos de endereço, né?
Muitas felicidades é o desejo que vem do meu coração pro seu sempre! E mais ainda pra sua Gabi.

um beijão e obrigada por tudo sempre!