quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

VIDA NOVA




            Aproveitando o começo do ano, cidade vazia (sim, isso também acontece em São Paulo!), nada melhor que uma caminhada para energizar, recuperar as forças depois das Festas.

            Adoro caminhar sem destino, sem horário. E falo de andar a pé, observando casas, pessoas, árvores e tudo mais que aparecer pela frente. Descobrir ruas novas ou as mesmas de sempre, mas com outro olhar, diferente daquele que me acompanha quase o ano todo em meio ao trânsito da cidade grande, a pressa, a responsabilidade com os compromissos.

            Bairros ajardinados, casas imensas, silencio total após a noite de fogos, risos e brindes. Os vigias tomando café na calçada, contando sobre as aventuras da virada do ano, cachorros se espreguiçando após passarem pela fresta da porta, esquecida entreaberta. Um cheiro de terra molhada, plantas, sinais da chuva que lavou o ano velho e batizou o novo. Silencio.

            Lembranças do ano que PASSOU, planos para os dias que virão, alguns já sendo colocados em prática. Um bebê acena do colo de uma babá, com um Papai Noel nas mãos. Retribuo, sorrio e penso: “Tomara que ele sorria sempre, por toda a vida...”

            Casais passam correndo, em ritmo de maratona, afinal o ano já começou!
            Um carro passa aqui, outro acolá. A maioria das janelas ainda fechadas.
            Dobro uma esquina e ao olhar para uma casa de muro baixo, jardim na frente, vejo reunida uma família de gatos! Brincando com a mãe, os irmãos rolam pela grama, aproveitando o dia que começa e o Sol que esquenta a terra molhada. Ali, simples, ingênuos, felizes, brincam entre si totalmente despreocupados com a vida à sua volta. Fico ali parada alguns instantes, sonhando, admirando os filhotes, que assim como o bebê humano, terão uma vida inteira pela frente com tudo que só o dia a dia é capaz de proporcionar.

            Só um pãozinho torrado na chapa da padaria e aquele café quentinho para me trazer de volta à realidade e acreditar no ano inteirinho que tenho para caminhar...

4 comentários:

Gilson disse...

Carla

É que o amor está inserido em todas as etapas, não se prioriza família, amigos e etc sem amor. Acho que seria até difícil eu conseguir colocar amor na lista, até porque não vejo o mundo sem amor.
Seu Blog é muito bom, vou seguí-la e veja, já temos algo em comum, adoro caminhar olhando as casas e tudo a volta, me renova.

Abs

ML disse...

Eu tb adoro caminhar, Carla - aliás, é a minha academia.
Principalmente assim: olhando a rua, as construções e (o melhor da história) os bichinhos que encontro pelo caminho.
Já caminhei por SP tb (o namorado trabalha aí) por ruas absolutamente agradáveis.Eu gosto muito de SP.
Deve ter sido muito fofo a família de gatinhos - que legal!

bjnhs

andy disse...

oi? tudo bem? depois de um tempo nas montanhas, estamos de volta. não sei se lembra de nós. enfim, o que importa é que voltamos para fazer parte desse mundão. rsrsrs.

Nossa, somos cariocas, moramos próximo ao estádio do maracanã. acredita que nunca fomos lá caminhar? deve ser muito bom mesmo, caminhar, sensação de liberdade. por alguns instantes, não temos contas a pagar, não temos trabalhos a fazer, etc.

feliz 2010,
Anderson.

Dama de Cinzas disse...

Eu adoro andar, sinto necessidade e o chato é que no verão eu ando menos, porque fujo muito do calor e sol quente dessa época...

Mas andar te coloca em contato com o mundo...

Beijocas