terça-feira, 22 de junho de 2010

BEM ME QUER, MAL ME QUER



Com o passar do tempo tenho aprendido (à duras penas, confesso) que uma das maiores dores é quando tentamos dar amor, ou o nosso melhor para alguém e a outra parte não aceita. Simplesmente recusa amor.



Ok, onde está mesmo escrito que alguém é obrigado a aceitar alguma coisa nessa vida? Realmente, nada que se faz obrigado pode ser bom. Mas nada parece tão difícil quanto a dor de desejar o bem e somente o bem, seja através de palavras, um sorriso, um gesto, um abraço, um livro, a convivência, e a outra parte transformar o que seria uma oportunidade em algo sem importância.



Quem de nós já não passou por uma situação assim? E não falo dessa reação com estranhos, mas principalmente com aqueles que nos rodeiam – e a dor é ainda maior quando são pessoas que amamos.



Pagar o mal com o bem é uma máxima cristã há muito difundida. Tenho comprovado que o mal só atrai ainda mais mal. Algumas pessoas são insistentes nisso. Não percebem a Lei da Atração, da Ação e Reação. Perdem verdadeiros bálsamos pelo caminho, pensando e realizando coisas inúteis com o único intuito de prejudicar alguém – burrice, porque só fazem mal a si mesmos.



Creio que a maior decepção é que quando vemos vários exemplos pela vida – nosso ou de outros – inevitavelmente vamos nos tornando mais inflexíveis, mais descrentes, mais duros e porque não dizer, mais tristes.



O grande desafio é justamente esse: não deixar que decepções (mesmo que sejam muitas, ao mesmo tempo, agora) nos arrastem para fora do caminho que viemos aqui desenvolver. É acreditar primeiro em nós mesmos, termos a consciência tranqüila, não desejarmos o mal a qualquer ser.

Fácil? Não, senão estaríamos em algum lugar bem melhor que aqui. Talvez numa situação onde pudéssemos amar a todos sem receio. Porque ultimamente até pra isso, muitas vezes, colocamos um pezinho pra trás...

5 comentários:

Taw disse...

Muito legal!!!

Ocorre muito isso com muitas pessoas...

Hum... às vezes, eu até entendo os que rejeitam o amor...

[em comportamentos enviados, nem sempre vai o que queremos de forma pura, como queremos, e às vezes, vai junto com que enviamos algo que o outro não quer receber, não é que esteja negando o amor, mas está negando algo que vem junto, e que não o tal consegue dissociar, mas, é claro, com certeza não funciona sempre assim]

Dama de Cinzas disse...

Sem dúvida! São as decepções da vida. E quanto mais se vive mais as enfrentamos. O grande esforço é para que elas não nos endureça demais, porque um pouco sempre ficamos...


Beijocas

*** Cris *** disse...

Seria tão bom se pudéssemos amar sem receios,né?
Bjs!

Veronica Kraemer disse...

Carla, eu penso assim: dou amor, amo, amo incondicionalmente, e sou muito feliz assim!!! Nunca mudarei, pois amar me faz crescer. Se a pessoa não quer, tudo bem, problema dela, pois o amor está em mim, parte de mim e volta pra cá.
Já me magoei demais mas foi justamente isto que me fez amadurecer!!!
saudadesssssssssssssssssssss!!!
te adoro!!!
Beijos
Vero

ML disse...

Pois eu tento - tento - ser legal, mas costumo observar o comportamento alheio. Porque tem gente com quem não adianta querer ser bacana, confiar, contar a verdade, etc.
É da natureza delas serem ingratas.
Acho útil ficar com um pesinho atrás...

bjnhs