quarta-feira, 13 de agosto de 2008

PASSADO

Quantas vezes ouvimos pessoas dizendo: “Ah, no meu tempo as coisas não eram assim...” Ou então: “Ah, se eu soubesse o que sei hoje...” Mas cada coisa vem em seu tempo certo, exatamente quando estamos precisando. Existe outra modalidade de lembranças: “Por que ele (a) não é como era antes?” – Simples solucionar esse mistério. A resposta está na própria frase: “era antes”. Já foi, já era, faz parte do ontem. Se era, não é mais. É diferente. Se desde que nascemos já começamos a envelhecer, não adianta querermos manter as coisas (o que dirá das pessoas) da mesma maneira. Nem nossas células são iguais a ontem. Tudo se transforma: os seres vivos, as emoções, as cidades, o planeta. Mas quando é conveniente para nós, queremos que tudo continue tal qual era antes. Gosto muito da frase: “Viver no passado não dá futuro.” É isso mesmo, tudo se renova, ciclos se encerram, novas fases começam. Precisamos disso para crescer, descobrir, evoluir. Vamos ficar só com o que o outro pode nos dar, não queiramos exigir o que não é possível, o que existe só em nosso desejo, nosso sonho. E se ele não tiver nada do que desejamos, prestemos mais atenção. Talvez seja nesse detalhe que está o que realmente estejamos precisando. Ele (a) não nos dá atenção? Prestemos mais atenção em nós mesmos e não nos outros. Não trabalha? Esforcemo-nos para não sairmos do caminho que está aí, onde os NOSSOS passos podem nos levar. O outro não muda? Mas já fizemos todas as mudanças que estamos precisando em nós mesmos? Mudar gera crise, não é fácil. Temos que desacostumar do familiar, para recriar um jeito novo de ser, de viver. E isso independe de idade. Vemos muitos velhos aprendendo a utilizar o MSN, a Internet. Não é lindo? Então aquela outra frase: “Ele é muito velho não muda mais” é só mais uma desculpa. Ou preguiça. Não insistamos em vestir roupas que não nos servem, opiniões que não nos fazem refletir. Rubem Alves diz que “pássaros de penas iguais voam juntos”. Procuremos o nosso bando, a nossa turma. Mesmo que no começo seja difícil. Vamos dar o primeiro passo para a mudança, para começar um novo ciclo em nossa vida. Solidão? Isso não existe quando temos a nós mesmos, quando somos inteiros. Não adianta inventarmos coisas, atividades, para preencher o tempo a fim de não pensarmos. O vazio volta, ele existe. Olhemos para dentro de nós. Sempre temos a resposta do que serve e o que não nos serve mais. Respiremos fundo, limpemos o guarda-roupa, o coração, o arquivo morto, vamos soltar daquilo que não tem mais nada em comum conosco, mas que insistimos em manter por medo do novo. “Que seja infinito enquanto dure” já dizia o poeta. VIVA A LIBERDADE!

4 comentários:

Juliana disse...

AMEI ESSE TEXTO..............

Anônimo disse...

No tempo, o presente é uma dádiva de Deus, como o próprio nome diz é um presente.
Faça do hoje o melhor presente para si próprio.
Viva bem o presente para ter boas lembranças do passado.
O futuro será consequência.

beijos,

Tevinho Tempo Bom

Egidio disse...

Adorei o texto,adorei o blog,mas acima de tudo adorei a Filó a Mila e o mais novo membro da famila,Biju.
Bjs.

Chris disse...

Você é realmente muito especial.
Estou amando todos os textos!