quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

ESCOLHAS

A lenda egípcia diz que ao tentar entrar no Reino dos Céus, o respectivo porteiro faz duas perguntas: “Fostes feliz nesta vida?” e “Fizeste alguém feliz nesta vida?” – Caso a resposta for negativa em qualquer uma delas, adeus Céu! - Bobagem - ele pensou. E jogou o panfleto no lixo mais próximo. Não acreditava mesmo nessas coisas espirituais. Aprendera desde cedo a buscar seu próprio sustento e nunca tinha parado pra pensar em besteiras como essas. Uma coisa era fato: ele tinha medo. Não sabia bem de quê, mas um medo avassalador encarcerava sua alma. Às vezes acreditava que boicotava a si mesmo, porque ser feliz não era pra ele. Sempre que algo de muito bom começava a ficar ainda melhor, ele se angustiava. “Angústia” – etimologicamente o mesmo que lugar estreito... Ou seja, “um parto”, pensou. E a porta cada vez mais estreita... A vida é feita de escolhas e ele nem sempre sabia o que escolher. Imagine encontrar o tal porteiro lá do Egito... Nem pensar! Essa liberdade de poder fazer o que quisesse o deixava em pânico! Ao olhar pelo retrovisor da vida, via cenas já esmaecidas que mostravam o quanto havia sido fraco, rude, burro, dentre tantos outros “atributos”. Suas escolhas o tinham levado a isso. Era cruel, mas verdadeiro. Em muitas não tinha culpa, pois acreditava que esta só aparece quando sabemos que estamos escolhendo algo que não é pra nós. Outras, por inexperiência, burrice, falta de orientação, ignorância mesmo, não se via culpado, pois simplesmente não sabia. Em muitos momentos da vida se deparou com valores que importavam mais que os interesses mundanos. E vice-versa. Hoje sabia o peso de ser honesto, sobretudo consigo mesmo. Perdera a visão embrutecida de se achar pior que qualquer ser humano da face da Terra. Aos poucos fora compreendendo que viver já implica escolher. A liberdade é tanta que podemos decidir sobre isso a qualquer momento. Entendera que só se olhando inteiro todos os dias (e cada dia descobria uma nova face de si mesmo) é que se sentia cada vez mais vivo. E imediatamente pensou que já tinha uma resposta afirmativa para o “porteiro egípcio”.

12 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Sem dúvidas, Carla! A vida é feita de escolhas e amadurecimento dessas escolhas...

Belo texto!

Beijocas

Cris Animal disse...

Intrigante o texto e a forma como a interrogação fica pairando no final. Não sou a dona da verdade; longe disso, mas acredito que fazendo alguém feliz, serei feli. E sendo feliz, alguém estará feliz por isso. Simples assim!
Será Carla?
Beijo pra vc !

O Profeta disse...

A vida é feita do livre arbitrio...



Doce beijo

Luiz Calcagno disse...

Lá eles arrancam seu coração e o colocam em uma balança. No outro prato está a pena da asa de Maat, Deusa da Justiça. Caso seu coração seja mais pesado, adeus Amenti (céu dos egípsios). Adoro essas cousas. Adorei o texto. See Ya!

Andréa disse...

Livre arbítrio...
Minha escolha já foi feita porque a "Esfinge" jamais sairá do lugar.
E se quero pertencer ao mundo, vou a ele.
Beijos e obrigada, sempre,
Andréa

Cesar Oliveira disse...

os textos estao lindos de ler...

Cesar Oliveira disse...

E as escolhas impossiveis de certeza e necessárias de fato...

O Grosso da Bossa disse...

Se depender de mim para uma resposta afirmativa para a segunda pergunta, você já tem um belo de um terreno lá no céu. Quanto a construção da casa, pode contar com a minha ajuda. Pode deixar que no dia de bater a laje, a cerveja ficará por minha conta.
Grande beijo!

Robson disse...

Ei minha amiga, saudades de vc! agora meu Pc voltou a funcionar e eis-me de volta...
Quanto a questão "Culpas" eu percebi a um bom tempo atrás que acalentava culpas de más escolhas alheias como se fossem minhas... Ainda bem que acordei!

Desarranjo Sintético disse...

A livre escolha, o livre arbítrio as vezes pesa, afinal é masi simples por a culpa em qualquer outra coisa e dizer que não temos parte nisso tudo, não é verdade! Mas nunca é tarde para começar, para escolher, e o mundo nos apresenta um porteiro egípcio por dia, ao que se repsodermos positivamente, melhor para para nós.

Bjoks.
Fábio.

O Profeta disse...

Sou coração que segue em silêncio
Nos fios do sublime pensamento
Pela ressurreição de um sorriso
Renasço nas asas do tempo

Esta Terra é degredo dos sonhos
É espelho que distorce o sentimento
É castigo no julgamento do fracasso
É fogo que se cala a todo o momento


Boa semana


Mágico beijo

Luciane disse...

A escolha é o princípio da angústia. Se ao menos tivéssemos o objetivo traçado com clareza, passar pelas escolhas para chegar a um fim, não seria algo tão confuso! O problema é que até para se ter um objetivo, há que se fazer uma escolha. E o ciclo se fecha.
Gostei muito de seu Blog
Abraços.

http://isso-ou-aquilo.blogspot.com/